Autor: Juniele Rabêlo de Almeida
Ano: 2015
Preço: R$ 36,00
ISBN: 978-85-62959-05-9 
Formato 16x23, 234 páginas 

 

_ Sinopse _

O ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros, ocorrido no final do primeiro semestre de 1997, é o assunto de Tropas em Protesto. As manifestações dos praças da Polícia Militar de Minas Gerais tornaram-se um estandarte tático para a ação coletiva dos PMs de diversas localidades do território nacional, em um processo estudado de maneira minuciosa pela historiadora Juniele Rabêlo de Almeida. Doze estados integraram o primeiro ciclo nacional de protestos: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul; e, sem movimento organizado, São Paulo e Rio de Janeiro. 

No livro, narrativas de história oral revelam o diálogo entre as especificidades regionais (PMs estaduais) e uma cultura policial militar nacionalmente constituída. Múltiplas questões ligadas à história dos movimentos sociais e à segurança pública no Brasil são problematizadas pela autora por meio de quatro redes de análise, que indicam diferentes repertórios da ação coletiva policial militar: o início do ciclo de protestos; conflitos armados e ameaças; acampamentos e negociações; manifestações disciplinadas e articulações políticas à margem do ciclo de protestos. 

Em seu fascinante trabalho, Almeida delineia como a crise policial militar brasileira representou uma conjuntura em que elementos próprios da corporação se desgastaram, mas não o suficiente para minar as bases institucionais. Extremamente atual, o livro indica possíveis conexões entre uma cultura policial militar (expressa pelos preceitos militarizantes referentes a valores e normas institucionais) e preceitos relacionados à democratização que se passa no Brasil contemporâneo.

 

Conteúdo _

A rede nacional de PMs entrevistados: agradecimentos

 

1  Apresentação: tropas em movimento

1.1 A corporação policial militar

1.2 Farda, democracia e imprensa

1.3 Ações coletivas: novos caminhos

1.3.1 O repertório da ação coletiva

1.3.2 Os ciclos de protestos

1.4 História oral e memória: policiais militares em protesto

 

2  Início do ciclo de protestos: Crise hierárquica em Minas Gerais

2.1 Passeata, trégua e confronto – Belo Horizonte

2.2 A Polícia Militar de Minas Gerais

2.3 Personagens de um novo repertório da ação coletiva

2.4 Repercussão: a morte do Cabo Valério e o efeito dominó

 

3  Conflitos armados e ameaças: Alagoas, Ceará, Pernambuco e Pará

3.1 Dia de guerra e queda do governador – Maceió

3.2 Governo de Ferro e a política das exclusões – Fortaleza

3.3 Sequestros e ameaças – Recife

3.4 Policiais encapuzados – Belém

 

4 Acampamentos e negociações: Paraíba, Bahia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

4.1 Acampamento e greve de fome – João Pessoa

4.2 O papel da imprensa – Salvador

4.3 Disputas pela liderança do movimento – Cuiabá

4.4 Policiais e petistas – Campo Grande

 

5 Manifestações disciplinadas e articulações à margem do ciclo: Rio Grande do Sul, Piauí, Goiás; São Paulo e Rio de Janeiro

5.1 Ordem e frustração – Porto Alegre

5.2 Governador e PMs em praça pública – Teresina

5.3 Negociações e controle da tropa – Goiânia

5.4 Margem do ciclo de protestos: repercussões midiáticas e articulações políticas – São Paulo e Rio de Janeiro

 

6  Memória coletiva: Policiais militares e tempo presente

6.1 Origem social e condições de trabalho dos policiais militares

6.2 Cultura policial militar e abusos hierárquicos

6.3 Punições corporativas: prisões e exclusões

6.4 O debate sobre desmilitarização e a PEC no 21

 

Considerações finais

 

Referências

 

Sobre a autora _

JUNIELE RABÊLO DE ALMEIDA é professora da Universidade Federal Fluminense. É autora do livro Farda e protesto: Policiais militares em greve (2008), coautora de Narrativas e experiências: Histórias orais de mulheres brasileiras (2009) e co-organizadora de Introdução à história pública (2011). Possui diversos outros trabalhos nas áreas de história contemporânea, história oral e comunicação. Tropas em protesto: Manifestações policiais militares no Brasil, anos 1990 resulta de seu doutoramento em História Social na Universidade de São Paulo. 

Peso (kg)
0,520
Tropas em protesto: Manifestações policiais militares no Brasil - Anos 1990
R$38,00
Tropas em protesto: Manifestações policiais militares no Brasil - Anos 1990 R$38,00

Autor: Juniele Rabêlo de Almeida
Ano: 2015
Preço: R$ 36,00
ISBN: 978-85-62959-05-9 
Formato 16x23, 234 páginas 

 

_ Sinopse _

O ciclo de movimentos reivindicatórios dos policiais militares brasileiros, ocorrido no final do primeiro semestre de 1997, é o assunto de Tropas em Protesto. As manifestações dos praças da Polícia Militar de Minas Gerais tornaram-se um estandarte tático para a ação coletiva dos PMs de diversas localidades do território nacional, em um processo estudado de maneira minuciosa pela historiadora Juniele Rabêlo de Almeida. Doze estados integraram o primeiro ciclo nacional de protestos: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul; e, sem movimento organizado, São Paulo e Rio de Janeiro. 

No livro, narrativas de história oral revelam o diálogo entre as especificidades regionais (PMs estaduais) e uma cultura policial militar nacionalmente constituída. Múltiplas questões ligadas à história dos movimentos sociais e à segurança pública no Brasil são problematizadas pela autora por meio de quatro redes de análise, que indicam diferentes repertórios da ação coletiva policial militar: o início do ciclo de protestos; conflitos armados e ameaças; acampamentos e negociações; manifestações disciplinadas e articulações políticas à margem do ciclo de protestos. 

Em seu fascinante trabalho, Almeida delineia como a crise policial militar brasileira representou uma conjuntura em que elementos próprios da corporação se desgastaram, mas não o suficiente para minar as bases institucionais. Extremamente atual, o livro indica possíveis conexões entre uma cultura policial militar (expressa pelos preceitos militarizantes referentes a valores e normas institucionais) e preceitos relacionados à democratização que se passa no Brasil contemporâneo.

 

Conteúdo _

A rede nacional de PMs entrevistados: agradecimentos

 

1  Apresentação: tropas em movimento

1.1 A corporação policial militar

1.2 Farda, democracia e imprensa

1.3 Ações coletivas: novos caminhos

1.3.1 O repertório da ação coletiva

1.3.2 Os ciclos de protestos

1.4 História oral e memória: policiais militares em protesto

 

2  Início do ciclo de protestos: Crise hierárquica em Minas Gerais

2.1 Passeata, trégua e confronto – Belo Horizonte

2.2 A Polícia Militar de Minas Gerais

2.3 Personagens de um novo repertório da ação coletiva

2.4 Repercussão: a morte do Cabo Valério e o efeito dominó

 

3  Conflitos armados e ameaças: Alagoas, Ceará, Pernambuco e Pará

3.1 Dia de guerra e queda do governador – Maceió

3.2 Governo de Ferro e a política das exclusões – Fortaleza

3.3 Sequestros e ameaças – Recife

3.4 Policiais encapuzados – Belém

 

4 Acampamentos e negociações: Paraíba, Bahia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

4.1 Acampamento e greve de fome – João Pessoa

4.2 O papel da imprensa – Salvador

4.3 Disputas pela liderança do movimento – Cuiabá

4.4 Policiais e petistas – Campo Grande

 

5 Manifestações disciplinadas e articulações à margem do ciclo: Rio Grande do Sul, Piauí, Goiás; São Paulo e Rio de Janeiro

5.1 Ordem e frustração – Porto Alegre

5.2 Governador e PMs em praça pública – Teresina

5.3 Negociações e controle da tropa – Goiânia

5.4 Margem do ciclo de protestos: repercussões midiáticas e articulações políticas – São Paulo e Rio de Janeiro

 

6  Memória coletiva: Policiais militares e tempo presente

6.1 Origem social e condições de trabalho dos policiais militares

6.2 Cultura policial militar e abusos hierárquicos

6.3 Punições corporativas: prisões e exclusões

6.4 O debate sobre desmilitarização e a PEC no 21

 

Considerações finais

 

Referências

 

Sobre a autora _

JUNIELE RABÊLO DE ALMEIDA é professora da Universidade Federal Fluminense. É autora do livro Farda e protesto: Policiais militares em greve (2008), coautora de Narrativas e experiências: Histórias orais de mulheres brasileiras (2009) e co-organizadora de Introdução à história pública (2011). Possui diversos outros trabalhos nas áreas de história contemporânea, história oral e comunicação. Tropas em protesto: Manifestações policiais militares no Brasil, anos 1990 resulta de seu doutoramento em História Social na Universidade de São Paulo. 

Peso (kg)
0,520