A invenção de Arthur Bispo do Rosário: Loucura, arte e patrimônio cultural - Viviane Trindade Borges

R$34,00

Conheça nossas opções de frete

Título: A invenção de Arthur Bispo do Rosário: Loucura, arte e patrimônio cultural
Autor: Viviane Trindade Borges
Ano: 2019
Preço: R$ 34,00
ISBN: 978-85-93467-21-9
Formato: 14x21 cm
Páginas: 240

 

_ Sinopse _

Em A invenção de Arthur Bispo do Rosário: Loucura, arte e patrimônio cultural, Viviane Trindade Borges mostra as diferentes formas pelas quais seu personagem se delineia, conforme o olhar de quem o apreende, de quem o toma e o institui como objeto. Entendendo que loucura e arte entrelaçam-se para compor a capacidade artística e a genialidade de um sujeito tido como único, a autora demonstra como a figura de Bispo emerge como o resultado de tramas discursivas, produzidas por discursos acadêmicos, institucionais e artísticos, entre outros.

 

Conteúdo _

Prefácio: Que Bispo não descanse em paz!

Apresentação: Tramando a tessitura

Capítulo 1: Quando ainda não era louco
1.1 “Um dia eu simplesmente apareci”
1.2 “Já fui marinheiro e boxeur”
1.3 “No dia 24 de dezembro de 1938 eu vim”

Capítulo 2: Esquizofrênico paranoide
2.1 Os (des)caminhos de um prontuário
2.2 O morador do Ulisses Viana
2.3 “Rosângela Maria. Diretora de tudo. Eu tenho”
2.4 A passagem

Capítulo 3: "Tá mais do que visto": A versão de si de Arthur Bispo do Rosário
3.1 Bispo e a vida como obra de arte

Capítulo 4: A consagração do "artista genial"
4.1 Surgimento de um artista plástico genial
 4.1.1 A invenção de um artista
 4.1.2 A consagração do artista nacional
4.2 Do hospício para o mundo: O “fabricante de curiosidades”

Capítulo 5: "Bispo do Rosário está voltando": O tombamento, o museu e o monumento
5.1 Tombamento e descaso
5.2 Um Museu para Bispo
5.3 “Arthur Bispo do Rosário está voltando”

Considerações finais?

Fontes e referências

Agradecimentos

 

Sobre a autora _

VIVIANE TRINDADE BORGES é doutora em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2010), com estágio na École des Hautes Études en Sciences Sociales – EHESS, Paris. Professora da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), atuando no curso de graduação em História e como docente permanente no Programa de Pós-Graduação em História. É coordenadora do Laboratório de Patrimônio Cultural (Labpac/Udesc). Membro da Red Iberoamericana de Historia de la Psiquíatria, da International Federation for Public History (IFPH) e da Rede Brasileira de História Pública. Desenvolve investigações sobre os seguintes temas: História das práticas institucionais de confinamento, Biografia, História Pública e Preservação do Patrimônio, em especial os Patrimônios Difíceis e o Patrimônio Prisional.

Compartilhar: